Terça-feira
17 de Setembro de 2019 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acessar seu processo.

Notícias

Poder Legislativo celebra 70 anos do Coral do Carmo

Criado em 1949, por iniciativa do frei Pio Moreira e reunindo apenas vozes masculinas, o Coral do Carmo do Recife foi homenageado pelos 70 anos de história, nesta terça (20), com uma Reunião Solene na Assembleia Legislativa. A iniciativa foi proposta pela deputada Teresa Leitão (PT). Hoje com 22 integrantes, o grupo foi idealizado com a finalidade de reabilitar a música sacra nas igrejas do Recife, em especial na Basílica de Nossa Senhora do Carmo, e teve como primeiro regente o padre Jaime Diniz, conhecido musicista pernambucano. Nos primeiros oito anos, ele entoava cantos religiosos nos templos, até que, em 1957, sob a direção do maestro M. Bezerra, o repertório foi enriquecido com músicas eruditas, folclóricas e populares. O regente se especializou em arranjos para vozes semelhantes, o que permitiu a projeção de solistas especiais, como Zildo Costa, 92 anos, o coralista mais antigo em atuação. Em 1972, o coral fez a primeira excursão internacional, a Portugal, como representante artístico do Brasil nas comemorações dos 50 anos da primeira travessia aérea sobre o Oceano Atlântico. Em 1974, quando completava 25 anos, o grupo participou do 1º Encontro de Corais do Recife, com representantes de vários Estados. A trajetória ainda inclui presença em festivais nacionais e internacionais, apresentações por todo o País e dez discos gravados. “A história de talento e dedicação levou o Coral do Carmo a ser contemplado com o Título de Patrimônio Cultural do Recife e o de Utilidade Pública pela Assembleia Legislativa”, destacou o deputado João Paulo (PCdoB), que presidiu a solenidade. O parlamentar acrescentou que, ao longo dessas sete décadas, o coro soube se reinventar para ficar ainda mais próximo do público. Teresa Leitão afirmou que o grupo tem um valor simbólico para o Recife. “No ano em que se completam cem anos da coroação canônica da imagem de Nossa Senhora do Carmo como Rainha do Recife e de Pernambuco, é importante reverenciar a história e a tradição do coral”, explicou. Regente do coro há mais de 30 anos, Josias Gouveia recebeu da Assembleia, junto com o reitor da Basílica do Carmo, frei Luiz Nunes Pereira, uma placa comemorativa. O sacerdote agradeceu a homenagem. “O Coral do Carmo tem um valor histórico para o Recife. Estou muito feliz com esse reconhecimento da Alepe”, frisou. Durante a Reunião Solene, o grupo cantou algumas músicas de seu repertório.
20/08/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.