Quinta-feira
05 de Dezembro de 2019 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acessar seu processo.

Notícias

Joel da Harpa repudia manifestação de líder religiosa sobre pastores evangélicos

Em discurso na Reunião Plenária desta terça (19), o deputado Joel da Harpa (PP) criticou manifestação feita pela mãe de santo Beth de Oxum no palco do Festival Lula Livre, evento realizado no Recife no último domingo (17). Segundo o parlamentar, que apresentou Voto de Protesto contra o discurso, a líder religiosa direcionou xingamentos e agressões aos pastores evangélicos. “Vivemos em um País democrático, em que todas as pessoas têm direito de se manifestar, no entanto, não podemos ultrapassar limites e desmoralizar lideranças religiosas”, defendeu. Joel da Harpa acusou Beth de Oxum de ter praticado intolerância religiosa e pediu uma retratação pública. “Usou um movimento legítimo para colocar ódio no coração das pessoas contra aqueles que exercem um importante papel social em nossa comunidade”, acrescentou. O pronunciamento motivou apartes dos deputados Clarissa Tércio (PSC), Pastor Cleiton Collins (PP), João Paulo (PCdoB), Delegado Erick Lessa (PP), Doriel Barros (PT), William Brigido (REP) e Adalto Santos (PSB). “Eu, como cristã, filha e esposa de pastores, me senti muito ofendida com as palavras dessa senhora”, registrou Tércio. “Perdoamos a ignorância demonstrada, mas iremos votar a favor desse Voto de Protesto”, declarou Collins. “O cristão deve compreender os momentos de dificuldades vividos pelos outros. Os afrodescendentes, especialmente os líderes de religiões de matriz africana, estão sendo perseguidos”, afirmou João Paulo. “Alguém que se diz liderança religiosa não pode atacar outros líderes religiosos, podendo o ato ser enquadrado como intolerância em nosso arcabouço jurídico”, informou Lessa. “O PT não compartilha com nenhum tipo de ataque. Se esta fala realmente tiver ocorrido, foi um erro. Espero, no entanto, que haja a mesma manifestação de solidariedade quando houver ataques a outros grupos religiosos”, pontuou Barros. “Lamento esse episódio. Há quem diga que não há perseguição contra evangélicos, mas somos, sim, vítimas de intolerância”, afirmou Brigido. “Lamento que nenhum representante do evento tenha tentado consertar a situação”, pontuou Santos. Waldemar Borges (PSB) também comentou o fato, no tempo dedicado à Comunicação de Lideranças. “Sou solidário a Joel da Harpa no que diz respeito a não aceitar intolerância contra a religião de quem quer que seja. Mas quero destacar que, historicamente, essa intolerância tem vitimado, de maneira muito mais forte, os adeptos de religiões de matriz africana”, concluiu.
19/11/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.