Quarta-feira
20 de Junho de 2018 - 

Frente Parlamentar visita delegacia que combate crimes cibernéticos

O e-mail é um dos principais instrumentos para a prática de crimes na internet. A informação foi apurada pela Frente Parlamentar de Combate a Crimes Cibernéticos da Alepe, nesta terça (10), em visita técnica à delegacia responsável pela repressão a esse tipo de delito no Recife. De acordo com o delegado Derivaldo Falcão, a maioria dos crimes ocorre quando a vítima abre falsos e-mails com aviso de atualização cadastral ou mesmo de promoção. “Nesse momento, ao clicar em algum link, um dispositivo que consegue roubar todos os dados daquele usuário é instalado no computador”, informou. Sites também podem apresentar link com oferta enganosa. “É importante sempre conferir no site original da loja se aquela promoção, normalmente com preço bastante fora do padrão, está mesmo sendo realizada. Isso deve ser feito antes de clicar ou efetuar o pagamento”, orientou o delegado. Além de golpes, a delegacia apura pulgações indevidas de imagens e notícias falsas (fake news) e crimes contra a honra ou que envolvam a internet para se concretizar, como a pedofilia. Por meio do Endereço de Protocolo da Internet (Endereço IP), é possível localizar o criminoso. “Se algo foi postado no Facebook, por exemplo, por meio de ordem judicial, conseguimos solicitar o IP e prosseguir com as investigações”, explicou Derivaldo. Somente este ano, a Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos registrou 184 inquéritos. Instaurada em 2013, quando houve o registro de apenas sete inquéritos, a unidade tem identificado um aumento das denúncias ao longo desses cinco anos. Ano passado, foi registrada a maior quantidade de inquéritos do período: 1.020. Para dar conta da demanda crescente e também para atender de forma descentralizada todo o Estado, o delegado afirma que, no ano passado, uma portaria foi editada tornando possível a denúncia em qualquer delegacia. “Antes, a vítima precisava se deslocar para o Recife, mas hoje pode fazer a queixa na cidade onde reside”, compara, explicando que cursos para capacitação dos policiais das demais delegacias ainda estão sendo realizados. Localizada na Rua da Aurora, a Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos conta hoje com sete policiais, além do delegado. “O quadro é pequeno para a quantidade de ocorrências que precisam ser investigadas”, avalia Derivaldo, que estima a necessidade de, pelo menos, mais quatro profissionais. Presidente da Frente, o deputado Aluísio Lessa (PSB) declarou que o colegiado encaminhará sugestão à Secretaria de Defesa Social para buscar alternativas de ampliação do número de policiais. Ao classificar a visita como proveitosa, Lessa pulgou novo compromisso da Frente Parlamentar, já na próxima quinta (12). O colegiado vai conhecer a estrutura do Porto Digital e do César em busca de contribuições para a coibição de crimes cibernéticos. “Com a Frente, estamos descobrindo várias estruturas que já existem no Estado e estão debruçadas sobre esse tipo de crime, além da própria delegacia. Como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/PE), o Ministério Público e, mais recentemente, o Tribunal Regional Eleitoral, tendo em vista as eleições de outubro”, observou.
10/04/2018 (00:00)
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.